Re-entry visa será abolido a partir de 13 de maio e medida deve beneficiar em torno de 40 mil estrangeiros.

Cidadãos estrangeiros residentes na Irlanda e provenientes de países que exigem visto antes de embarcar para a Ilha da Esmeralda não precisarão mais aplicar para o re-entry visa a partir do próximo mês. A medida foi anunciada recentemente pelo Departamento de Justiça irlandês e entra em vigor dia 13 de maio.

Em vez do visto, esses imigrantes poderão utilizar o Irish Residence Permit (IRP) para retornar ao país. Assim, tanto companhias aéreas quanto oficiais de imigração estarão cientes de que tais cidadãos têm o direito de entrar no país — e isentos do visto. De acordo com o governo, a medida deve beneficiar anualmente em torno de 40 mil pessoas.

Até o momento, cada vez que esses imigrantes precisam viajar para dentro ou fora da Irlanda, é necessário aplicar para o visto de reentrada. Entre os procedimentos para obtenção do visto está a necessidade de enviar o passaporte para o INIS (serviço de naturalização e imigração irlandês), além do pagamento de uma taxa de 60 euros para visto de jornada única ou 100 euros para viagens múltiplas.

Destacamos que, para os brasileiros, nada muda, já que não estamos na lista de nacionalidades que precisam aplicar para visto de entrada antes de chegar à Irlanda.

Segundo o Departamento de Justiça, a retirada da necessidade do visto é possível devido às melhorias de segurança no registro de estrangeiros no país. Além disso, a nova medida torna mais prática a vida desses cidadãos, já que eles não precisarão mais pagar pelo re-entry visa.

A iniciativa também deixa a Irlanda no mesmo patamar de outros países integrantes da União Europeia que já aboliram a necessidade do visto.

Agendamento online

A grande demanda por vistos de reentrada, juntamente à crescente demanda por renovações de vistos, tem trazido uma série de dificuldades para usuários que tentam utilizar o sistema de agendamento online disponibilizado pelo Serviço de Naturalização e Imigração da Irlanda (INIS).

Exceções

A exclusão da necessidade do visto de reentrada na Irlanda não se estende a todos os estrangeiros. Por exemplo, cidadãos de fora da União Europeia que não tenham o cartão IRP continuam obrigados a aplicar para o visto.

Como o cartão IRP não é emitido para menores de 16 anos residentes no país, os pais desses cidadãos devem aplicar para o visto de reentrada em nome do menor. Isso garante que eles possam viajar para dentro e fora da Irlanda enquanto estiverem morando no país.

A medida também não é válida para diplomatas e funcionários de embaixadas de países que exigem visto de entrada para a Irlanda. Sendo assim, esses profissionais devem continuar a aplicar para o re-entry visa.